Turismo: 4 aprendizados da Missão Barcelona

Nesta última semana de novembro, mergulhei com mais 13 profissionais do Turismo em uma missão intensa para entender o que Barcelona, cidade referência em Turismo, tem a nos ensinar. Foram 23 visitas em empresas públicas, privadas e mistas que generosamente compartilharam suas histórias. Foram dias absorvendo muita informação e muita coisa interessante, mas separei quatro aprendizados especiais para compartilhar aqui. Veja abaixo!

1- Overtourism
Como lidar com o Overtourism sendo um órgão de promoção turística? Aprendemos duas lições importantes de um destino que sofre com o excesso de turistas como resultado de um trabalho muito bem feito de promoção. Primeiro: já que não podem incrementar o volume de turistas, a estratégia é garantir a estabilização com o aumento dos valores gastos no destino, impulsionando assim a economia local. A Segunda é desenvolver novos destinos nos arredores para desafogar Barcelona, entre eles se destacam o turismo religioso em Montserrat, os resorts, parques e vinícolas em Tarragona, os esportes de neve na região dos Pirineus, tudo interligado por uma eficientíssima malha ferroviária.

2- Espaços democráticos
Barcelona se orgulha de ser democrata – ouvi mais de uma vez a comparação de que Madri é Republicana, mas Barcelona é democrata por essência. E isso vem de um planejamento bem feito desde o fim da ditadura no final dos anos 70. Planejada em valores democráticos, a cidade construiu um porto que integra praia, esportes, cruzeiros, carga, escritórios e muito mais em um espaço cinematográfico. E também um plano de transformar uma cidade ora industrial em um destino para as principais empresas de tecnologia em um bairro revitalizado, com empresas, universidades, moradias populares e shopping center convivendo e transformando.

3- O que é cultura?
Barcelona se orgulha de abrigar pessoas do mundo todo, de não discriminar o estrangeiro que ali vive e sendo cosmopolita preserva suas identidades. Uma população bilíngue com o Catalão e o Castelhano, que tem orgulho dos seus artistas renomados Dalí e Picasso. Eles entendem que cultura vai além: cultura é gastronomia, moda, design, jogos, séries e para valorizar isso investem em projetos como a série Merlí da Netflix e também na revitalização de seus 40 mercados municipais no centro de suas super-ilhas que se posicionam como espaços de cultura e saúde.

4- A experiência de uma marca forte
O Barça é uma marca mais forte que o próprio destino, os números são impressionantes, mas o que chama realmente a atenção é o menor número que o Barça exibe. O Camp Nou, estádio dos mais imponentes e modernos do mundo, recebe 28 jogos anuais. Sim, você leu certo: são somente 28 jogos ou 2520 minutos no ano. O que o Camp Nou faz com os outros 525.600 minutos que não tem jogo? Esse é o grande desafio considerando ainda que o gramado é exclusivo para os jogos. Assim surge o museu do Barça, as visitas guiadas e outras experiências para ampliar o potencial do estádio.

Difícil não se apaixonar por Barcelona, não é mesmo? Espero que você tenha gostado do post, em breve tem muito mais por aqui. Até mais!

 

 


Juliana Aranega
Formada em gastronomia, mas foi no turismo que se apaixonou. Pós-graduada em Marketing, ela lidera o departamento de curadoria de conteúdo e eventos da Imaginadora. Sua responsabilidade é supervisionar o evento como um todo, desde a criação do conteúdo até a organização final